segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Filme conta história do padre pedófilo acobertado por João Paulo II

Padre devasso Marcial Maciel sempre teve apoio de João Paulo 2, seu amigo

Lançado no México, o filme “Obediência Perfeita” tem como base a história do padre mexicano Marcial Maciel (1920- 2008), que se notabilizou por ser o fundador da ordem Legionários de Cristo e pedófilo, mulherengo e cocainômano. Teve vários filhos — dois deles sofreram abuso do próprio padre.

Em diferentes momentos, houve denúncias contra Maciel, mas ele nunca foi punido pela Igreja. 

O padre, que mandava anualmente substanciosa contribuição para o Vaticano, tinha a simpatia do papa João Paulo 2, que chegou a citá-lo como exemplo a ser seguido por sacerdotes. 

O diretor de "Obediência Perfeita" é Luis Urquiza. O padre Ángel de la Cruz (Juan Manuel Bernal) representa Maciel e o personagem Sebastián Aguirre, interpretado por Sacramento, é o garoto por quem o sacerdote se apaixona.

No filme, não há cenas explícitas de pedofilia, só muitas insinuações. Há uma cópia em espanhol do filme no Youtube (ver abaixo). 

A intenção de Urquiza foi abordar uma história já conhecida no México — e ao mesmo tempo denunciar o problema da pedofilia dentro da Igreja Católica — sem recorrer a cenas chocantes. Por isso, no México, alguns críticos afirmaram que o filme “pegou leve”.

A filmagem foi feita secretamente e com a presença de psicólogos e dos pais de Sacramento, para evitar algum abalo emocional no garoto.

O nome do filme se inspirou na “Carta de Obediência”, de Inácio de Loyola, para quem, entre outras coisas, a obediência dignifica o homem porque ela implica numa submissão da parte inferior em relação a vontade superior. “Aquele considera este como representante de Deus nesta terra e submete sua vontade alegremente, disposto a superar todos os sacrifícios que lhe são exigidos, ainda que experimente uma involuntária repugnância, nascida de sua natureza, em relação à ordem recebida.” Era o que Maciel exigia de seus meninos violentados.

João Paulo 2 só afastou Maciel de suas atividades sacerdotais e sexuais quando o padre já estava velho e doente, Maciel se recolheu para orações sem sofrer qualquer punição mais drástica do Vaticano. Logo depois ele morreu.

Até recentemente, uma filha do padre com uma espanhola reclamava uma herança milionária. A Legionários de Cristo abafou o caso por intermédio de um acordo com Norma Hilda Rivas Baños, a filha.






Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2014/11/filme-conta-historia-do-padre-pedofilo-acorbertado-por-jp-2.html#ixzz3K0faDdss 
Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário