segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Administração no município de Viana é caso de polícia


A Justiça deve não apenas bloquear as contas da prefeitura de Viana, para que o município pague os salários atrasados de dois meses dos servidores públicos, como fez recentemente.
Leia também:
Maranhão não tem alguém preso por crime de corrupção desde 2009
Tribunal condena prefeito de Viana a devolver R$ 3,8 milhões ao município
Justiça mantém decisão contra prefeito de Viana; desvio foi quase de R$ 1 milhão

A mesma Justiça que afastou o prefeito Rivalmar Luis Gonçalves Moraes, o Rilva Luis (PV), do comando municipal de Viana, não deveria voltá-lo ao cargo nunca, sob pena de ser conivente com tudo de ruim que se passa naquela cidade, sob pena de parecer apoiar as mazelas, os descasos e todo tipo de desgraça que a atual gestão implantou naquele município.

Só para que se tenha ideia, além dos desvios de verbas de programas federais e de convênios estaduais, o prefeito comete um crime de apropriação indébita, o que por si só já representa um passaporte para a cadeia. Acontece que boa parte dos funcionários contraiu empréstimos juntos ao BB e CEF.

Todos os meses as prestações estão sendo descontadas nos contracheques. Até aqui tudo bem, tudo bacana. Mas, agora, os servidores descobriram que a prefeitura não recolhe aos bancos. Ou seja: eles não pagaram às duas agências e terão seus nomes registrados no Serasa.
Apropriação indevida é crime; um caso de justiça, com direito a prisão do gestor, para intimidar os outros que queiram exercer a mesma prática. Além disso, a futura administração, que vai pegar um município endividado, combalido financeiramente, terá que pagar aos bancos aquilo que a atual gestão recolheu para si e não aos bancos; até porque o débito é do município. Uma lástima.

DO LUIS CARDOSO

Nenhum comentário:

Postar um comentário