quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Carteiros ingleses recusam-se a distribuir literatura Cristã


Funcionários postais ingleses recusaram-se a distribuir CDs com leituras da Bíblia
 depois de qualificarem-no de "material ofensivo". Várias igrejas haviam pago a
 produção dos discos (com gravações do Evangelho de São Marcos) como forma de 
celebrar o 400º aniversário da tradução "King James Bible".

Estava agendado que os CDs fossem entregues em todas as casas da "Channel
 Island of Jersey" mas o líderes eclesiásticos ficaram perplexos quando lhes foi
 dito que os funcionários postais não fariam o seu trabalho e entregar os
 45,000 CDs. Supostamente a entrega de literatura Cristã seria ofensiva 
para algumas pessoas (isto é, muçulmanos e esquerdistas).

Felizmente, alguns voluntários disponibilizaram-se para distribuir os CDs provando
 mais uma vez que a existência dum governo coercivo é muito menos importante do
 que fomos levados a acreditar.

Entretanto, ficamos a saber que os burocratas defendem-se que foi tudo um "erro".

Este exemplo mostra que a força de mudança da sociedade é o povo conservador 
e moral. O governo, independentemente do seu tamanho, não tem forma de
 fingir ser democrático ao mesmo tempo que se recusa a garantir a liberdade de
 expressão e a liberdade religiosa.Outra coisa que este incidente mostra é o 
quão profunda tem sido a corrosão marxista cultural na sociedade inglesa.

 Por enquanto, distribuir a Bíblia é "ofensivo". Quanto tempo mais até a posse duma
 Bíblia ser punível pela lei? Cinco anos? Dez anos? Dois anos?

Literatura ofensiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário